Líder da oposição venezuelana e autoproclamado presidente não será recebido com honras de Estado, mas terá reunião com presidente.

Venezuela desde o dia 22, quando foi à Colômbia para tentar ingressar no país com um comboio que levava ajuda humanitária (basicamente alimentos e remédios).

O Exército do ditador Nicolás Maduro não permitiu e houve confrontos na fronteira.

A viagem do oposicionista ao Brasil foi feita em um avião da Força Aérea colombiana. Guaidó ficará hospedado na Base Aérea de Brasília, ao menos até sexta-feira (2). Se voltar à Venezuela, ele corre o risco de ser preso.

Na segunda-feira (25), Guaidó se encontrou com o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, e com Ernesto Araújo na Colômbia durante reunião do Grupo de Lima que debateu uma saída pacífica para crise venezuelana sem interferência externa.

O Brasil, além dos Estados Unidos, o Chile, o Paraguai e o Canadá reconhecem Guaidó como presidente legítimo da Venezuela. O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, avalia que há uma conspiração liderada pelos Estados Unidos e Colômbia com o objetivo de promover uma intervenção na Venezuela.

 

Por/Redacão R7com Reuters

 

28/02/2019