Animal batizado em homenagem a Picasso foi resgatado na África do Sul.

Pigcasso não tem esse nome por acaso. Além de ter uma história de superação, a porca é uma pintora de primeira. Produz alguns quadros de renome que são até vendidos por até R$ 15 mil. Nada mal

Artista vive em um abrigo após ter saído de um matadouro quando era filhote. Todos os lucros são revertidos para ajudar animais em perigo

Pigcasso: porca pintora

A pintora mora na África do Sul, em um abrigo de animais chamado Farm Sanctuary SA. Lá ela tem o ambiente relaxante perfeito para fazer sua arte.

Em 2016, quando Pigcasso era filhote, ela foi salva de um abatedouro. No abrigo, os seus cuidadores perceberam seu amor pelos pincéis e cores. “Porcos são animais muito espertos. Quando ela chegou, imaginamos como poderíamos entretê-la”, afirmou Joane Lefson, em entrevista para a Reuters.

A própria porca deixou claro o que ela queria. Ao entrar em um celeiro ainda em construção, ela destruiu tudo que viu pela frente. Bolas de futebol, de rúgbi e outros objetos. Só deixou lá os pincéis.

Logo ela descobriu o próprio processo criativo e criou diversos quadros. E descansava de boa uma hora ou outra, porque todo artista merece. Alguns quadros chegaram a ser vendidos por R$ 15 mil.

A fabricante de relógios Swatch chegou a fazer uma parceria com ela, e um de seus quadros virou fundo de mostrador de relógio. Todos os lucros dos quadros dela vão para entidades protetoras dos animais.

Nas redes sociais a porca rosa possui conta própria administrada por sua dona e lá são postados muitos vídeos de todo processo criativo.

Em janeiro foi inaugurada sua primeira exposição, Oink!. A arrecadação das vendas de suas obras, disponíveis em seu site ou na exposição, serve para financiar o refúgio onde vive e conscientizar a população do impacto no meio ambiente de algumas produções de carne. Todos os seus quadros têm um certificado de autenticidade firmado por Pigcasso.