Na manhã desta quinta-feira (3), o seminário “Alfabetização e Letramento: somando esforços para uma educação pública e de qualidade” deu início ao projeto que tem como objetivo atuar no processo de alfabetização plena de crianças de até 8 anos, em 23 municípios do Maranhão, vizinhos à Estrada de Ferro Carajás (EFC), ao longo de 10 anos. O seminário contou com a participação de 400 educadores de diversos municípios maranhenses.

No seminário, os educadores participaram de painéis, debates e palestras sobre “Mobilização e engajamento social pela alfabetização de crianças”, “Alfabetização de crianças na perspectiva da Educação Integral”, “Letramento racial como uma das estratégias para uma escola diversa e acolhedora”.

Na oportunidade, o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, apresentou as ações que o Governo do Maranhão tem realizado pela alfabetização e letramento de crianças, como o Pacto pela Aprendizagem que envolve 216 dos 217 municípios maranhenses e destacou a parceria com a Vale como um reforço aos investimentos já realizados na área educacional do estado, fortalecendo o trabalho em desenvolvimento pelo Governo do Maranhão, com o programa Escola Digna.

“Esse é um programa importante porque vem ao encontro do que nós estamos realizando no âmbito estadual, que é o Pacto Pela Aprendizagem. E uma das principais premissas do pacto é a alfabetização na idade certa. Então esse seminário, hoje, foi o início de uma formação continuada com os profissionais de educação desses municípios que estão às margens da Ferrovia Carajás, para que assim possamos fazer o que é elementar: alfabetizar as nossas crianças até os oito anos de idade, para que, a partir daí, possam seguir o fluxo correto da educação e concluir a sua formação com qualidade”, pontuou o secretário.

Para a gerente da Fundação Vale, Pâmella De-Cnop, iniciativas como esta reforçam o compromisso da Vale com o desenvolvimento dos territórios onde a empresa está inserida.  “Assumimos o compromisso de, nos próximos dez anos, contribuir com a alfabetização plena e de qualidade dos 23 municípios vizinhos à EFC. Atuamos fortalecendo as políticas públicas em colaboração com governo, iniciativa privada e sociedade civil, por meio da Educação Integral, que é um alicerce para que qualquer processo de desenvolvimento seja alcançado de forma permanente”, destacou.

Presente no seminário, o diretor de Políticas Públicas do Todos pela Educação, João Marcelo Borges, ressaltou o regime de colaboração entre Estado, Prefeituras e iniciativa privada, em favor da ação. “O Todos Pela Educação se sente feliz em estar aqui, participando deste momento, porque a gente precisa trabalhar como vocês estão trabalhando, com finalidade, com objetivos claros, com persistência e métodos para alcançar os resultados. Eu estou muito feliz em ver esse engajamento desses municípios com o Governo do Estado, em parceria com a Vale. Tenho certeza que daqui a alguns anos o Maranhão, com as ações que vem trabalhando, estará entre as redes que conseguiram excelência em educação neste país”, declarou.

As ações previstas por meio dessa parceria contemplam a formação continuada de professores, coordenadores pedagógicos e gestores escolares, visando garantir a alfabetização plena de todas as crianças até o final do 3º ano do Ensino Fundamental, atendendo a Meta 5 do Plano Nacional de Educação. A expectativa é alcançar mais de 200 mil estudantes, 1.500 escolas municipais e estaduais e mais de 7 mil educadores da pré-escola e dos anos iniciais do ensino fundamental formados.

“Nós que somos do consórcio enxergamos essa iniciativa como sendo de extrema importância, porque precisamos mudar essa realidade de analfabetismo e analfabetismo funcional. Nós precisamos mesmo dar as mãos para melhorar a qualidade do ensino e da aprendizagem”, disse Karla Batista, prefeita de Vila Nova dos Martírios.

“Com todas as dificuldades que os municípios enfrentam, essas parcerias só vêm reforçar a nossa gestão e fazer com que as nossas comunidades possam criar uma esperança de dias melhores. E a gente sabe que a educação é o que transforma”, disse José Gomes, prefeito de Buriticupu, um dos municípios contemplados.

“Nós educadores e professores temos que entender que somos o guia orientador dessa criança para que ela estabeleça uma compreensão clara de que terá um itinerário a percorrer no ponto de vista escolar e, nessa passagem, ela será alfabetizada e isso é fundamental”, disse Moacir Feitosa, secretário municipal de Educação de São Luís.

Educação na pauta

Além do projeto “Alfabetização e Letramento”, está previsto no termo de cooperação assinado entre Vale e o Governo do Maranhão, investimento na ampliação do alcance do programa Escola Digna, com a construção de 5 novas escolas com mobiliário e sistema de abastecimento de água nas cidades de São Pedro da Água Branca, Igarapé do Meio, Tufilândia e Vila Nova dos Martírios. Além da reforma em 3 escolas nos municípios de Arari, Monção e Bom Jesus das Selvas.

Os Institutos Estaduais de Educação, Ciência e Tecnologia (IEMA) também serão contemplados com a implantação de 12 novos laboratórios nas unidades de São Luís (Centro e Itaqui-Bacanga) e Santa Inês.

Outra linha de atuação está relacionada à promoção do livro e da leitura no Ensino Fundamental e Médio, além de projetos de Educação de Jovens e Adultos (EJA), incluindo a doação de acervo às escolas.

A Secretaria do Estado da Educação (Seduc) também receberá apoio com diagnóstico e melhoria dos fluxos e processos. A melhoria na qualidade da gestão da educação e nos processos de alfabetização é um o compromisso de uma rede de parceiros, formada por instituições especializadas e dedicadas. São eles: Governo do Estado do Maranhão, Associação Cidade Escola Aprendiz, Ação Educativa, Instituto Avante, Instituto Formação, INAF, IPTI, Falconi, Movimento Todos pela Educação, Vale e Fundação Vale.

Fonte: Asscom