Betovem é o nome do cãozinho corajoso que foi resgatado no meio do Lago São Francisco, em Santo Amaro. Pescadores e o dono do animal acreditam que ele saiu em busca do amor.

 

Era uma tarde comum no povoado América, localizado no município de Santo Amaro, a cerca de 230 km de São Luís, quando os pescadores Rodrigo Sena, Jhenio e Nailsom avistaram um cachorro nadando sozinho no meio Lago São Francisco. Imediatamente, o barco de pesca do trio saiu em uma missão salva-vidas pelo cãozinho.

Após a operação bem-sucedida, a dúvida que ficou no ar foi: o que esse cachorro fazia nadando sozinho no meio do lago? Curiosos com a situação, os pescadores publicaram sobre o cachorro nas redes sociais na expectativa de encontrarem alguém que fosse dono do animal.

Foi assim que acharam o seu Joãozinho, que apareceu explicando que Betovem é um cão pastor e que estava acompanhando ele na compra de novos gados no povoado. No entanto, durante a passagem por América, que fica do lado oposto a Santo Amaro no Lago São Francisco, Betovem encontrou uma cadela que estava no cio e não quis mais sair de perto dela. Foi nesse momento que a teoria sobre uma história de amor canina surgiu.

Santo Amaro do Maranhão é uma espécie de “lado b” dos Lençóis Maranhenses: pequena, com clima de interior, mas praticamente dentro do parque. Possui acessos às lagoas mais fáceis do que os de Barreirinhas porque dá para estacionar bem perto das dunas e é possível curtir as lagoas Andorinha, Gaivota e as do circuito Betânia. O Lago São Francisco, então, fica ali perto

.”O dono do cachorro diz que comprou o gado no povoado e voltou para Santo Amaro. Mas, de repente, o cachorro sumiu ainda de manhã. Foi aí que eu e meus amigos estávamos pescando no lago e avistamos um cachorro perdido lá no meio”, explicou o pescador Rodrigo.

Logo, para chegar ao local em que foi encontrado, Betovem percorreu um longo caminho em solo firme e tentou atravessar o lago a nado. Rodrigo disse que o cãozinho parecia bastante cansado quando foi encontrado e permanecia farejando o tempo todo.

“Quando ele [o dono] veio pegar o cachorro aqui na casa do meu pai, ele explicou o que aconteceu, que o cachorro fugiu e estava indo atrás de uma cachorra no cio”, disse o pescador.

Sem motivos aparentes ou naturais que justifiquem a coragem de Betovem em desbravar as águas de Santo Amaro, os pescadores e o dono entraram em um consenso de que, sim, o cãozinho romântico estava, mesmo, encarando uma aventura para achar o amor do outro lado do Lago São Francisco. Mas, como foi resgatado e levado para casa, Betovem terá que conviver com a saudade e com as lembranças daquela manhã no povoado América. Será que esse reencontro vai acontecer algum dia?

 

Por Lucas Vieira, G1 MA